SÃO PEDRO DAMIÃO (Santo do dia)

Pedro Damião, grande doutor da lgreja, destacou-se  no inicio deste segundo milênio como um grande reformador da igreja. Amante da solidão e da vida monástica, soube renunciar a este gosto para pôr-se a serviço da Igreja, cuja vida estava sendo corroída por graves abusos.

Moço ainda, voltara-se para a vida do espírito e para a contemplação. Entrou em contato com os monges seguidores de São Romualdo (Congregação dos Camaldulenses) e, aos vinte e um anos, pediu ingresso no convento. Muito cedo foi nomeado prior da
congregação.Promoveu por todos os meios a perfeição da vida religiosa e, através de contato com os outros mosteiros, como o de Monte Cassino na Itália, o de Cluny na França, discutia os mais variados temas da observância regular monástica, criticando duramente a falta de pobreza de certos mosteiros.

Trabalhou incansavelmente para devolver à vida religiosa seu sentido de consagração total a Deus, na austeridade da solidão e da penitência.

Mas, a partir de 1046, a fama de sua santidade, a cultura e o prestígio de que gozava na Itália e no Império, iam exigir dele o sacrifício de sua solidão para dedicar-se à obra da reforma da Igreja. Por trinta anos ajudou a vários pontífices nesta tarefa.

Entre os males que afligiam a Igreja naquele século havia a praga da simonia clerical, Pedro Damião por sua vez, clamou, batalhou, anatematizou tais abusos. Outra chaga, consequência da primeira, era que nos cargos eclesiásticos se infiltravam elementos indignos, não selecionados, rebeldes à disciplina eclesiástica, sobretudo ao compromisso do celibato, com grave escândalo para os fiéis.

Pedro Damião foi eleito bispo e cardeal de Óstia, perto de Roma, e serviu como conselheiro e legado papal para importantes missões.

Veio a falecer no dia 21 de fevereiro de 1072. Pela solidez de sua doutrina, proposta em vários escritos, São Pedro Damião foi declarado doutor da Igreja.

Fonte: CONTI, Dom Servilio. O Santo do Dia. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1984

Postagens mais visitadas