POUCOS AMAM A CRUZ DE JESUS - IMITAÇÃO DE CRISTO


Jesus sempre teve muitos que amassem Seu reino celestial, mas poucos que, sustentassem Sua cruz. Muitos desejam consolo, mas poucos se importam com julgamento. Há muitos querendo compartilhar Sua mesa, mas, poucos para fazer parte de Seu jejum. Todos desejam ser felizes com Ele; poucos desejam sofrer o mínimo por Ele. Muitos O acompanham na partilha do pão, mas poucos compartilham o cálice de Sua paixão. Muitos reverenciam Seus milagres, mas poucos O louvam e O abençoam ao receberem seu conforto. Porém, se Jesus se oculta e os deixa por algum tempo, indulgem em reclamações ou desânimo. Por outro lado, aqueles que amam a Jesus por Jesus mesmo
e não por satisfação própria, O abençoam tanto nos julgamentos e aflições do coração como na bênção do conforto. Mesmo se Ele nunca fornecer consolo, continuam a louva-Lo e sempre desejam agradecê-Lo. Quanto poder existe no amor puro por Jesus -- amor livre de todo o interesse:; do amor próprio.

Aqueles que sempre procuram o consolo não merecem ser chamados de mercenários? Aqueles que sempre pensam no próprio benefício e ganho não estão provando do amor próprio em vez do amor em Cristo? Onde encontrar um homem que deseja servir a Deus sem receber nada? Raramente um homem é tão espiritual a ponto de desapegar-se de tudo. E quem irá encontrar um home tão humilde de espírito a ponto de estar desprendido de todas as criaturas? Seu valor é como aqueles tesouros trazidos das terras mais distantes.

Se um homem doa todas as suas riquezas, não é nada; se ele faz grandes penitências, é pouco; se ele consegue todo o conhecimento, ainda assim está longe do caminho; se possui grandes virtudes e devoção ardente, mesmo assim sente falta de muita coisa, especialmente do que é mais necessário a ele. O que seria isso? Ao deixar tudo, ele renuncia a si mesmo, renuncia completamente a ele; desiste de todas as suas afeições pessoais. Então, quando termina tudo o que sabe que deveria ser feito, considera que não foi nada, que não foi muito o que fez e, honestamente, chama a si mesmo de servo inútil. Pois a própria verdade diz: “Após terdes feito tudo o que vos foi mandado, dizei: “Somos servos inúteis: fizemos nada além do que devíamos fazer'."

Então ele será verdadeiramente humilde e desapegado de espírito, e, com o profeta poderá dizer: "Sou só e pobre.“ Ninguém, entretanto, é mais rico do que esse homem; ninguém é mais poderoso, ninguém mais livre, que sabe como abandonar todas as coisas e pensar em si mesmo como algo secundário.

Postagens mais visitadas